Profissionais

Clínicas

Academias

Farmácias

Óticas

Produtos e Equipamentos

Laboratórios
 

 

 

 

 



Dr. João Gomes Netinho
coloproctologista 
professor adjunto do Departamento de Cirurgia e chefe da disciplina de Coloproctologia e do Departamento de Cirurgia da Faculdade de Medicina Rio Preto (Famerp)

 

   Você sabia que a doença hemorroidal é protagonista de episódios históricos interessantes? Fala-se que por causa de uma "crise hemorroidária",  Napoleão Bonaparte, o grande imperador da França, perdeu a batalha de Waterloo 
para o Duque de Wellington, da Inglaterra. 

   Devido à "trombose hemorroidária" Napoleão ficou impedido de montar em seu cavalo. Por isso ele teria ficado em posição genupeitoral por horas, perdendo um período de tempo precioso para realizar sua estratégia militar e tornando essa posição conhecida como "a posição em que Napoleão perdeu a guerra".

   Mas alguns historiadores falam apenas que ele perdeu a guerra devido às chuvas que impossibilitaram de movimentar os seus pesados canhões. Ainda de Napoleão. Você sabe porque ele andava sempre com a mão direita enfiada entre os botões da farda ao nível do estômago? É porque ele tinha úlcera duodenal que lhe causava fortes dores de estômago.

   Deixando Napoleão em paz, o que muita gente que tem hemorróidas gostaria e saber de que maneira pode ser livrar dela, ou pelo menos amenizar o terrível incômodo. Talvez o maior temor de quem tem hemorróidas é o tratamento cirúrgico. Na realidade a operação de hemorróidas muitas vezes causa um terrível sofrimento no período pós-operatório a muitos pacientes. Mas também ocorre que muitos são operados e não sofrem praticamente nada. 

   Por que essa diferença? Qual o motivo de uns sofrerem tanto e outros passarem pela cirurgia como se fosse uma operação insignificante? Buscando essas respostas muitas vezes passam-se horas discutindo nos congressos da especialidade. Vários aspectos que podem influenciar e determinar a intensidade da dor ou então o grau de sofrimento que determinadas pessoas podem ser vítimas. Entre eles o grau de tensão emocional. 

   As pessoas mais tensas ou estressadas, ou simplesmente mais nervosas, são passíveis de sentirem mais dor, pois não conseguem relaxar a musculatura esfincteriana anal e conseqüentemente surge a dor devido a esse estado de contração muscular permanente. Ao evacuar pioram os sintomas, pois simplesmente não conseguem evacuar porque não conseguem relaxar a musculatura anal.

   Outro fator importante é o tamanho das hemorróidas. Se for muito grande também poderá ser maior o trauma cirúrgico. Outro aspecto diz respeito ao cirurgião e a técnica empregada. Algumas técnicas podem ser menos dolorosas que outras e com certeza se a operação for realizada por um profissional que está acostumado a trabalhar na área, é evidente que o resultado tende a ser melhor.

   Mas hoje em dia os especialistas reservam a operação como última opção para tratar essa moléstia. A ligadura elástica é uma das boas opções para tratamento, pode ser realizada em consultório e o paciente ainda pode ir trabalhar em seguida. Muitas vezes o tratamento pode ser feito com uma simples anestesia local e resolve o problema.

Mitos e Verdades
  
A pimenta não é causadora das hemorróidas, mas simplesmente irritante de mucosa anal. Pode agravar os sintomas ou então até precipitar o início dos mesmos, mas não causar. Diga-se o mesmo para todos os condimentos. Os que falam que algum tipo de pimenta (comarí, malagueta, etc.) cura hemorróidas, também é balela. 
O que acontece é que as crises vêm e passam, e às vezes demora muito tempo sem que surja outra crise. Eu já operei vários casos em que o paciente tentou esse tipo de remédio e não deu certo. E por falar nisso, se fosse verdade os efeitos causados pelas pimentas já pensou o que seria do povo do norte e nordeste que são chegados numa "comida quente?".
Já em relação a bebidas alcoólicas pode-se dizer o mesmo, pode ser irritante de mucosa anal, mas a sensibilidade varia muito de pessoa para pessoa.  
Outros irritantes da região anal são os sabonetes por serem alcalinos e/ou por terem em sua composição um pouco de soda cáustica.
O papel higiênico, apesar de ter sido feito para a higiene anal é considerado pelos proctologistas como um elemento irritante agindo como se fosse uma lixa na sensível mucosa anorretal.
A hemorróidas não é hereditária, apesar de ser muito freqüente em algumas famílias. Mas também ocorre de em muitas famílias a hemorróidas aparecer só no pai ou na mãe e nenhum dos filhos tem a doença. O contrário também é verdadeiro, isto é, às vezes só aparece nos filhos. Isto descarta a possibilidade de ser congênita ou hereditária. 
Algumas profissões são mais suscetíveis de serem atingidas pela doença. São aquelas pessoas que passam horas e horas sentadas constantemente, principalmente caminhoneiros e escriturários.
Mas um dos grandes tabus é o medo exagerado de que a hemorróidas vire câncer. Isso não ocorre. Vários estudos inclusive um da Faculdade de Medicina de Rio Preto examinou centenas de peças retiradas de operações de hemorróidas e não se constatou em nenhuma a ocorrência de degeneração maligna. Quando ocorre câncer na região anal, é câncer desde o início e não que se transformou depois.

   De qualquer maneira é prudente sempre que ocorrer sangramento nessa região, que geralmente é atribuído a hemorróidas, procurar esclarecer a causa. E não ficar achando que é das hemorróidas e "deixa pra lá". Já vi vários casos em que isso ocorreu e quando finalmente o doente procurou um especialista já era tarde para realizar o tratamento curativo, pois se tratava de câncer de reto, que numa fase inicial poderia ser curado com tratamento cirúrgico.