Profissionais

Clínicas

Academias

Farmácias

Óticas

Produtos e Equipamentos

Laboratórios
 

 

 

 

Artigo publicado em novembro de 2002




Dr. Gilso Geraldes Misko

cardiologista

 

   Nos últimos 25 anos, o tratamento da doença arterial coronária, manifestada através de angina do peito infarto do miocárdio, sofreu significativos avanços, entre eles a introdução da angioplastia transluminal com implante de stents.

   Com o crescente uso destes para o tratamento da doença coronária deparou-se com um sério problema que é a Reestenose Intra Stent responsável pela volta dos sintomas e necessidade de nova intervenções em 10 a 30% dos pacientes e em números superiores em pacientes diabéticos.

   A recente inovação técnica com a implantação de Stents Revestidos com Rapamicina veio promover uma revolução nesta abordagem terapêutica, pois estudos mostram taxa de Reestenose próximo de zero.

   As perspectivas são altamente animadoras para esta modalidade terapêutica e selam o papel dos Stents como método seguro e eficaz para o tratamento da doença Arterial Coronária.