Profissionais

Clínicas

Academias

Farmácias

Óticas

Produtos e Equipamentos

Laboratórios

Serviços Complementares
 

 

 

 

 


Dra. Kátia Ricardi de Abreu
Psicoterapeuta
Consultora Organizacional

 

 

   Análise Transacional é uma teoria da personalidade, um conjunto de técnicas e uma filosofia de vida. É uma teoria de conduta individual e social, centrada na compreensão, predição e mudança do comportamento humano. Chama-se "Análise", por examinar o comportamento em unidades simples e facilmente compreensíveis e "Transacional", por aplicar essa análise às ações e reações entre as pessoas, denominadas "Transações".

   Foi criada pelo psicanalista Eric Berne. Nascido em 1910, na cidade de Montreal, Canadá, formou-se em Medicina e em 1936 transferiu-se para os Estados Unidos; iniciou sua formação analítica com Paul Federn, completando-a com Erik Erikson. Faleceu em 1970.

   Análise Transacional serve para poder pensar, sentir e atuar em nossa vida com autonomia. Sua filosofia sustenta que nossas condutas inadequadas atuais resultam de uma programação irracional elaborada na infância.

   Esta abordagem permite às pessoas, reconhecerem e mudarem essas atitudes prejudiciais para si e para o ambiente, adotando um jeito de ser mais construtivo, criativo e real.
   Eric Berne, seu criador, chamou o aparelho mental de "psique" e as suas exibições funcionais na qualidade de comportamento, de "estados de ego": a maneira observada de ser, decorrente de sentimentos e pensamentos. São eles, "o estado de ego Criança, que corresponde às manifestações típicas da infância, carregadas de impulsos e sentimentos e, na pessoa madura, representa a revivência dessas manifestações com a mesma carga emocional e o mesmo impacto da vivência infantil; o estado de ego Adulto, que com base nas capacidades de percepção, memória e processamento de dados, revela o raciocínio, bem como o cuidadoso interesse na consecução de metas e nas conseqüências prováveis das escolhas feitas; o estado de ego Pai, que é a repetição do comportamento dos progenitores na infância, consistindo em restringir alguém ou dar-lhe apoio"(Caracushansky,1977).

Análise Transacional pode ser aplicada na área clínica, organizacional, educacional, nas instituições em geral. Sua clareza de conceitos, objetividade de métodos e brevidade terapêutica, vem "preencher a lacuna existente nas formas de psicoterapia atuais e satisfazer as necessidades de uma sociedade carente de um método que seja, ao mesmo tempo, afetivo, rápido e acessível à maioria da população" (Frutuoso e Tavares,1988). 

   Segundo Rosa Krausz, "não é raro nos depararmos com anúncios de seminários, maratonas e cursos de Análise Transacional cujos apresentadores se intitulam analistas transacionais sem informarem o nome da instituição que lhes concedeu este título" (Jornal "Opções" sobre "A Formação Básica do Analista Transacional").
   Tenho me deparado com pessoas que fazem Cursos onde o facilitador usa a terminologia da Análise Transacional, sem a formação requerida pelas associações nacionais e/ou internacionais, que estabelecem diretrizes básicas e requisitos mínimos para o preparo de profissionais especializados para assegurar a competência técnica e a qualidade dos serviços prestados. Fico preocupada com isso e quero esclarecer que a Certificação do Analista Transacional pode ser feita pela:

UNAT-BRASIL (www.unat.com.br ), ALAT (Associação Latino-Americana de Análise Transacional e ITAA (Associação Internacional de Análise Transacional).

O processo de formação é composto das seguintes etapas: 
· CURSO 101, Básico, que dá uma visão geral dos principais instrumentos da Análise Transacional.
· CURSO 202, Especialização nas áreas Clínica, Eduacacional, Organizacional e da Saúde.
· CURSO 303, Formação de Analistas Transacionais Didatas.