Profissionais

Clínicas

Academias

Farmácias

Óticas

Produtos e Equipamentos

Laboratórios

Serviços Complementares
 

 

 

 

Dor muscular tardia

 

José Antonio Pinheiro dos Santos
Educador Físico
Personal Trainer
Pós-graduado em bases fisiológicas do movimento humano

 

   Você se lembra daquela partida de futebol que teve com os amigos após um longo tempo sem jogar ou do retorno à atividade física depois de ter ficado parado por alguns meses?

   Conhecido como DOMS (Delayes Orset Muscle Soneness), INÍCIO DE DOR MUSCULAR TARDIA, este desconforto ocorre quando uma pessoa se exercita mais do que aquilo que seu corpo suporta ou estimula a musculatura a exercícios diferentes com os quais está acostumada. 

   DOMS ocorre tanto em pessoas bem treinadas como em mau treinadas.
   SINTOMAS DE DOMS: Dor, inflexibilidade e desconforto que ocorrem nos músculos um ou dois dias após o treinamento e têm sido estudados desde o início do século. O processo biológico ainda é um mistério.

TEORIAS QUE EXPLICAM A OCORRÊNCIA DE DOMS: 

The torn tissue theory (Teoria do tecido cortado), onde micro cortes no tecido muscular seriam a causa de Doms.

The connective tissue theory (A teoria do tecido conectivo), propõe que micro-rupturas ocorreriam no tecido conjuntivo próximo às células musculares que os unem.

The inflammation theory (A teoria da inflamação), a dor sentida durante DOMS seria um processo natural do nosso corpo tentando conectar os anos ocasionados pelo treinamento.

   Não se pode pensar que a dor muscular tardia tem alguma relação com o acúmulo de ácido lático durante a prática de atividade física.

   O ácido lático é um co-produto da glicólise anaeróbica (relação química responsável pela desintegração da glicose e do glicogênio muscular na ausência de oxigênio para a produção de energia).

   Quando este acumula-se em altos níveis nos músculos nos músculos e no sangue produz fadiga muscular.

   A concepção errada entre DOMS e ácido lático iniciou-se pelo fato de o lactato produzido no músculo durante o exercício intenso, causar dor e fadiga muscular, limitando o movimento.

Perguntas mais comuns:

   Qual o tempo necessário para a remoção completa do ácido lático acumulado? Qual o seu destino em nosso organismo?

   Nos teste de esforços máximos e supra máximo, realizados em laboratórios de fisiologia do exercício, relatou-se que eram necessários vinte e cinco minutos de repouso, recuperação para a remoção da metade do ácido lático acumulado e que nenhum indivíduo submetido ao teste demorou mais do que uma hora e quinze minutos para remover 95% do total de lactato produzido. 

   Em exercícios de esforços submaximos, no qual o acúmulo de ácido láctico não foi tão grande, foi necessário um tempo ainda menor para sua remoção.
COMO PREVENIR A DOMS? Várias atitudes podem ser tomadas para evitar ou diminuir ao máximo os efeitos da dor muscular tardia:

um bom aquecimento ao início da atividade física;

um bom resfriamento após o exercício físico;

alongamento simples antes e depois da atividade física;

adaptação do corpo de maneira progressiva aos exercícios;

evitar mudanças bruscas no treinamento e nos tipos de exercÍcio a serem realizados.
TARDE DEMAIS!!! Você já está dom DOMS?
Para minimizar e não piorar o quadro de DOMS, há algumas recomendações:

evite exercícios vigorosos que aumentam a dor;

caminhada ou jogging, que ajudam no processo de cura, pois aumentam a circulação do sangue nas áreas afetadas;

alongamentos leves;

massagens suaves, que aliviam a dor;

não se exercite intensamente até que a dor desapareça;

se a dor persistir por mais de 7 dias procure um médico especialista;

Fontes bibliográficas

Edward L. Fox, Donald K. Matheus. Bases Fisiológicas da ed. Física e desporto.
Guyton, M.D., Arthur C. Tratado de Fisiologia do Exercício.
William D. Mc. Andlle, Frank Ikatch, Victor L, Katch., Fisiologia do exercício.